prato_do_dia
normatividade patriarcal na educação by Pitty
29/05/2016, 10:45 am
Filed under: Blog

 

 

a pessoa lê “os estupradores eram homens (e não seres mitológicos) e entende como “todo homem é um estuprador”. como chegamos a isso?

eu detesto esse papo de “as pessoas não me entenderam porque elas são burras”, acho pedante. acredito em comunicação como via de duas mãos, mas em certos casos é preciso observar o alcance de entendimento e mensurar o nível de ignorância, principalmente em relação ao subjetivo, ao figurado e ao metafórico.

na questão dessa semana em particular, me surpreendeu o baixo nível cognitivo e falta de capacidade de interpretar uma sentença simples- subjetiva, mas simples.
claro, houve também a má-vontade e a manipulação: depois percebi que algumas páginas direcionaram a informação nesse sentido, e usaram isso como ataque por serem contra tudo que acredito: são machistas, homofóbicos, defensores de pena de morte, tortura e outras crueldades físicas e psicológicas. acho isso tudo péssimo, e não acredito em violência como solução para a violência. acredito em conscientização, direitos iguais, justiça e educação; e esse era o ponto. essa era a chamada de reflexão da fala: como estamos educando nossos meninos e homens?

NÓS sim, enquanto sociedade.

eu, você, cada um de nós. não adianta lavar as mãos. se a pessoa não enxerga a relação entre violência contra a mulher e a forma que educamos nossos meninos e homens, já começamos com um problema. a educação das meninas também, por tabela nessa normatividade patriarcal que as ensina a se reprimir, a terem medo de se vestir, de andar na rua, de se expressar. mesmo a educação dentro de casa sendo exemplar, os meninos e meninas vão lidar com isso da porta pra fora, vocês sabem disso. nós lidamos. nossos filhos vão lidar, e nossos netos e bisnetos, a menos que a gente comece a olhar essa questão com honestidade, reconheça que isso acontece e quebre esse ciclo.
 
você ensina seu filho a respeitar as mulheres, e na roda de amigos ele vai ser chamado de frouxo porque não engrossou o coro de “gostosa” quando uma menina passou por eles.
você o ensina que “não é não”, e no banheiro da escola ele vai ser ridicularizado porque não conseguiu “traçar a mina”.
você mostra a ele que homens e mulheres têm os mesmos direitos, mas na rua ele vai se sentir impelido a corresponder à esse padrão que diz que “mulher tem que se dar ao respeito”. “se estava na rua é porque estava pedindo”; e todos esses absurdos que a gente vê serem repetidos todos os dias
está claro o sentido do “aprendem”?

esse conjunto de situações de desigualdade de gênero, objetificação, desumanização e culpabilização da mulher é o que se chama de cultura do estupro.

aí eu volto na ignorância: “como assim estupro é cultura, que absurdo”. pois é, eu tive que ler isso, rs.
ninguém tem obrigação de nascer sabendo, mas cadê a curiosidade, a vontade de aprender? será que antes de escrever uma bobagem assim a pessoa não pensa “hum, o que será isso? deixa eu procurar saber”. e hoje é tão fácil, com um clique isso se resolve. se a pessoa tivesse pesquisado, teria descoberto o que significa o conceito de cultura do estupro, e por quê esse termo é usado. pode concordar ou não, mas pelo menos saberia do que se trata.

meu chamado desde o começo foi à reflexão. não adianta vestir a carapuça. é preciso tirar o ego da frente e discutir questão de gênero de forma ampla e honesta.
quando não fazemos isso ou lavamos a mãos, nossa responsabilidade sobre toda violência que permitimos que aconteça com as meninas e mulheres aumenta


31 Gorjetas so far
Deixe uma gorjeta

Eae mulher, tudo bom?
Eu realmente entendi o que voce tinha explicado. Achei super simples de entender.
A maioria das pessoas foi pelo que outras pessoas escreveram.
O que eu achei engraçado, é que em momento algum pegaram todos os posts e sim um so.
Foi de uma extrema maldade o que fizeram.
Em nenhum momento pensaram na sua gravidez, so pensaram no ataque.
Espero que tudo isso passe logo…
Espero que voce, a banda e o bebe estejam bem.
Se cuida! E tenta nao se estressar com tudo isso, sei que é dificil, maaas.
Beijao para voce e para o nosso Pittyko (a), fiquem bem.

Comment by Flavia Yasmin

Exatamente isso A COMUNICAÇÃO COMO VIA DE DUAS MÃO!!! Infelizmente nem tudo q escrevemos as pessoas interpretam o que realmente é, ao invés de interpretar o que está escrito, deixa o emocional responder pela sua interpretação, ou nem entendeu o q está escrito e quis acompanhar o comentário à cima.
Nós temos que fazer algo para mudar essa história, os índices de violência contra a mulher só vem aumentando, hj são elas, não sabemos qdo poderá ser nós!
O que aconteceu com essa menina foi uma barbárie, Não podemos ficar em silêncio.
É difícil mudar uma cultura, mas acredito q esse seja o start para mudanças!

Comment by Vivian

Foi muito simples de entender… Até meu amigo de 14 anos entendeu, a maioria se fez de besta só pra atacar a pag

Comment by lluislisboa

Realmente Pitty, as pessoas estão cada vez mais habituadas a lerem o mínimo possível e muitas das vezes acabam pré-determinando um conceito que não condiz com o contexto do texto autoral. Até aqui já temos a formação de uma nova cultura, que já nem é tão new assim. Aproveitando o momento, gostaria de pedir que a Sra não pare de escrever, e que por favor libere a música “Na Pele” para que nós fans possamos matar a saudade, acredito que há música venha à calhar neste momento, porque para alguns autores de comentários execráveis é só sentindo na pele mesmo para ter uma conscientização.

Comment by Jean Carlos

Desculpem pelo “há”.

Comment by Jean Carlos

Pitty você é maravilhosa, não se afete com o que dizem de você e com você, se preocupe com seu bebê, esse mundo não tem jeito não, ninguém ouve ninguém, só fazem o pior a cada dia…
Beijo fica bem, você será sempre a Rainha do Rock Brasileiro, te adorooo muito! <3

Comment by D4nilito

Só posso dizer: obrigada <3 Pitty <3

Comment by viviane da Silva

A internet é uma terra “sem lei”. Apesar de alguns não entenderem por pura ignorância.A maioria distorceu o texto por maldade mesmo….EU,lendo o twite jamais teria chegado a esse tipo de interpretação…Ora pq aprendi a interpretar texto na escola,ora pq tenho discernimento…

Comment by Danylorang

Pitty,é exatamente isso que eu passo,sou chamado de várias coisas,até de gay sou chamado,tudo isso porque fui ensinada a como respeitar uma mulher corretamente,isso é um absurdo,enquanto os chamados moleques são vistos como o tipo “certo” de homen,os cavalheiros(me encaixo aqui),são ridicularisados,claro,isso é o que vejo ao meu redor,sábias palavras as suas,um abraço para você e um para o pittyko(a)

Comment by Jr_Emerson

Pitty, por que será que a palavra “homem” incomoda tanto? Os caras querem 5 estrelinhas por nunca terem estuprado ninguém… Não sabem reconhecer tudo o que está por trás e nem o quanto o machismo atrapalha a nossa sociedade… Homens e mulheres sofrem com o machismo. Não é difícil ver isso. Não entendo também tamanho ódio que a galera costuma expressar nas redes só porque não está cara a cara com a pessoa (é triste pensar que esse é o ódio que está nelas, que para soltar os cachorros só precisa de uma oportunidade “fácil”. A telinha do computador é o novo estádio de futebol). Como se ferisse menos… Como se não se importassem com o sentimento do outro… Enfim, força e luta sempre! Muita energia positiva, eparrei pra ti e estamos juntas!

Comment by Ronara Souza

Oii Pitty!!!
Concordo plenamente com tudo que você disse,eu mostrei aquele tweet pra minha irmã de 12 anos e ela entendeu tudo,e muita gente já de de idade avançada,não entendeu…em momento algum vc disse que todos os homems eram estrupadores,foi uma grande falta de interpretação.

Comment by Hernande

e assim seguimos justificando o injustificável…
atribuímos culpa às roupas, ao comportamento, à pobreza, ao endereço e a tudo que nos convier para que possamos manter nossa bolha de ignorância que não nos permite perceber que fomos criados para pensar que tudo que for ligado ao feminino é menor e que devemos domina-lo.
romper com essa ignorância nos custa acabar com muitos mitos e admitir o inadmissível: nossa ignorância tem fomentado a violência contra qualquer um que saia, por um segundo que seja, do padrão hétero normativo ilusório que um dia acreditamos.
Naquele dia foram 33 e agora são milhares de homens e mulheres que a violentam e alimentam a roda da violência.

Comment by Erms

Assim como você recebeu uma enxurrada de comentários maldosos e desnecessários por pura falta de interpretação, ou malícia para distinguir um jogo de palavras, eu, e acredito que vários outros fãs também fomos atingidos. “Ah lá! Viu o que seu ‘ídolo’ andou falando na internet? Que todo homem é estuprador, chamou até você disso”.

Quem te acompanha sabe muito bem, e entendeu muito bem o que quis dizer. E isso só mostrou pra sociedade que você é capaz de se posicionar (e muito bem) naquilo que acredita, e ainda mostrou o quanto as pessoas andam para trás, porque para frente, somente as informações distorcidas para os outros da forma em que querem que as pessoas acreditem. Assim como você, eu acredito num mundo onde todos possam de forma natural entenderem o que é correto e o que não é correto. Os valores e o respeito mútuo. Obrigado por ser nossa porta-voz. Como dizem, a verdade dói mas precisa de dita!

Beijos,
Matheus Pacífico

Comment by Matheus Pacífico

Não dá pra saber o que é pior: a pessoa que sabe o que é cultura do estupro e não faz nada pra combatê-la, ou quem só fica reproduzindo discurso de ódio como papagaio e não se dá ao trabalho de estudar/se colocar no lugar do outro (a).

Comment by samaranazz

Quando adquirimos uma crença nosso instinto é proteje-la a todo custo.
Se essa crença é confrontada nossa primeira reação é defende-la antes de questiona-la;
E ainda que as provas sejam contundentes é provável que só se reafirme mais essa crença.
Chamamos isto de efeito contra-ataque. Virão reforços.
E esta é a razão pela qual você perde seu tempo tentando convencer alguém de que está errado.

Comment by vgbernabeu

Já não era difícil de entender, mas com esse texto ficou tudo ainda mais claro. Não tenho dúvida do que defendo, e defendo a igualdade e o fim dessa cultura cruel. Que bom que temos esse espaço para aplicar e receber um feedback

Comment by edykelvison

Perfeito!
Já passou da hora de acabarmos com essa cultura de estupro, objetificação, disputa e tudo mais que somos bem ensinadas e ensinados, senão pela família, pela sociedade.
Basta!
Precisamos destruir a construção da masculinidade que o homem também sofre por não poder demonstrar sensibilidade. Destruir essa construção de que mulher ou é um objeto para o prazer masculino ou é uma cuidadora que beira a santidade.
Chega!
Parabéns pelo texto. Tanto ele como suas músicas fazem muito sentido na minha vida e já me ajudaram a superar várias paradas.
Valeu O/
Sucesso e saúde pra você e o bebê, espero que quando ele tenha a nossa idade, essa porcaria toda que vivemos tenha sido superada.
Bjks

Comment by Gislene Hazarmaveth

Hoje em dia você deve explicar bem explicado se não a sociedade destorci a suas palavras.
Parabens Pitty você nos representar.

Comment by caiobraz

Quanto mais visito o blog, mais eu a admiro!

Comment by nanda

É uma situação complicada quando temos EDUCADORES – leia-se: todos aqueles que interferem de alguma forma na nossa educação – que já trazem esse VIÉS COGNITIVO carregado de julgamentos e preconceitos. É bem verdade quando se diz: “as pessoas são ensinadas a serem…” machistas, sexistas, homofóbicas, racistas e tantas outras coisas que nos puxam para abaixo do ser realmente humano. Educação talvez não seja tão difícil, mas a DESCULTURAÇÃO é algo extremamente complicado. Como mudar aqueles VALORES morais e religiosos tão deturpados para mais de milenios? Depois da viralização do tema estupro com o caso do estupro coletivo, li tanta coisa absurda que parecia que meu monitor era uma cebola cortada… eu quis chorar (sim, moscas choram u.u) porque é muito triste ver pessoas tão doentes nas suas formas de pensar, sentir e agir a ponto de jogar merda no ventilador e achar legal, pra quê SANIDADE? Vi famoso que ainda culpabiliza a mulher e considera sua liberdade uma putice; vi mulher lamentando o fato e dizendo que só deve acontecer com mulheres lésbicas, não com mulheres normais (???); vi machistas assumindo “temos que estancar essa sangria” que é o feminismo. Nestes casos, até pedras chorariam! Por fim, é muito triste mas não acredito que será para sempre. Temos um árduo trabalho que começou há muuuito tempo (…e durará mais um tanto) e que não deve ser cessado. Citando Jesus, não como uma forma exatamente religiosa: “não vim trazer a paz, mas espada”. Muito obrigado, Pitty (!), por expor o seu esclarecimento tornando-se uma ferramenta dessa luta que um dia terá fim.
BzZZzzZzzOS!

Comment by AMosca

<3

Comment by Pitty

“Se cada um de nós olhássemos mais para a palavra de Deus e estivesse mais atento a direção do Espírito Santo, com certeza viveríamos em um mundo com menos conflitos…
Não precisariamos, por exemplo, estar discutindo a cultura do estrupo, se é que estrupo pode ser chamado de cultura.
Essa moça, e tantas outras, na verdade sofre as consequências de uma geração em que muitos não conseguem discernir as consequências de seus atos.
Uma geração em que a minha liberdade não olha para a liberdade do outro… Na verdade muitos possuem um conceito equivocado de liberdade…” O que acham deste comentário? O mesmo foi postado por um professor em sua rede social.
Eu respondi: “Tenho tempo para Deus, tenho tempo para bíblia e tenho tempo para o espirito santo. Sim, Deus antes de tudo. Mas, é preciso SIM discutir sobre ‘ cultura do estupro’ já que em pleno século XXI existem seres humanos que praticam este abuso. Concordo que é necessário avaliar o termo liberdade. Todavia, colocar a culpa no outro ou na vítima para justificar seu ato é repugnante! https://googleweblight.com/… , este link fala sobre o termo ”cultura do estupro’

Comment by debora-nazario

Estou passando apenas para agradecer e dizer que concordo com tudo que escreveu. Mais importante, está claro e objetivo, gostei muito.

Comment by Pretérito Obscuro

Pitty, sou professor de Filosofia e, sempre que posso, venho aqui ler seus textos.

Mas você está mais presente quando pego algumas de suas letras para tratar em sala de aula.

Quando inicio o tema Ética e Moral inevitavelmente começo com “O Lobo”:

“Houve um tempo em que os homens
Em suas tribos eram iguais
Veio a fome e então a guerra
Pra alimentá-los como animais
Não houve tempo em que o homem
Por sobre a Terra viveu em paz
Desde sempre tudo é motivo
Pra jorrar sangue cada vez mais

O homem é o lobo do homem, o lobo
O homem é o lobo do homem, o lobo…”

Não tem como falar de Hobbes e Rousseau sem começar por aqui.

Bom, fico pensando o seguinte, em relação ao tema que você abordou acima: As mulheres sempre gostaram de se maquiar, vestirem-se bem, ficarem cheirosas, andarem livres, enfim, sentirem-se humanos, serem mulheres. Quando vejo gente dizendo que mulheres que gostam de se exibirem, ou seja, serem mulheres, é porque estão querendo ser estupradas, percebo escondido o mesmo desejo machista e autoritário daqueles que dizem que Deus não quer que mulheres mostrem seus rostos e corpos porque isso pode atrair os olhares e desejos dos homens, o que seria um pecado. Na verdade o que se quer é controlar e manter a mulher sob severo ataque de mandonismo machista. Impedir de a mulher de ser aquilo que quer e gosta de ser, mulher. São mistificações para esconder o autoritarismo desse jogo de poder entre homem e mulher.

Te adoro.

Comment by Jair Freitas Feitosa

Todos aqueles que lutaram pelos ‪#‎direitosiguais‬ foram torturados, mortos, por alienados, que não ouvem, escutam, que não olham para os lados, pessoas nojentas, hipócritas, que não sabem ouvir a verdade, morreram porque não se calaram.E eu não me calarei, pois morrerei buscando a justiça por aqueles que temem, que não gritam, que prende seus clamores.#justiça

Comment by Flavia Bahniuk

#tamojunto

Comment by debora-nazario

Pitty , os psicopatas , bandidos ,assassinos , estupradores, genocidas são parte na diversidade da natureza humana, você acha que o Estado Islâmico é um problema essencialmente cultural e fruto do patriarcado, não, é um problema biopsicosocial , biológico, porque existe algum defeito orgânico no sujeito , psico , porque o alma do sujeito é doente, social ,por causa do meio ( não necessariamente) que desperta os dois outro fatores, foi Freud quem fundamentou isso , e misso ele tinha razão , é um problema da natureza humana e não é só masculino não…

Comment by Alex Lope Vargat dos Santos

Agora quanto a colocar a culpa do estupro no comportamento das mulheres,é como colocar a culpa do Holocausto no comportamento dos judeus , ciganos , eslavos e russos , isso não faz sentido , a não ser para os idiotas….

Comment by Alex Lope Vargat dos Santos

DE: Fã
PARA: ídolo

O lado de cá.
Por onde começo? Bem, o lado de cá, dos fãs, é bem divertido, meio louco e muito complexo. Complexo porque há tipos diferentes de fãs, digamos que somos como as tribos urbanas de uma sociedade.
No entanto, não vou me preocupar em tentar explicar esses tipos, seria uma perda de tempo. Só digo que tem os “mais” e os “menos”. E o que temos em comum também é bastante obvio, todos sentimos admiração, às vezes porque tu expressa aquilo que agente quer ou precisa ouvir/dizer ou pensa. Ou por nos apresentar uma ideia nova, fazendo com que criemos uma nova perspectiva sobre algo. Além disso, é claro, porque o som é ótimo, de verdade. Porque a música, em todos os lugares, nos dá prazeres inexplicáveis e alimenta as nossas emoções, sejam elas quais forem. E ainda, mais além disso, tem a personalidade que chama a atenção, deixa marcas com suas atitudes, realizações, as respostas e tantas outras coisas. E tantas outras coisas que tornam esse lance de fã tão complexo como já disse que é.
É algo maior que nós, por isso a gente pesquisa tanto, se emociona, vibra, torce, chora, comenta, briga e defende. Nós nos damos o direito de “se intrometer”, porque acreditamos que fazemos parte de tudo. E eu sei, isso prejudica às vezes, ambos os lados. Mas é mais forte e maior do que podemos controlar, e quando o sangue esquenta, vem o tal do impulso e aí já viu né… Os danos já foram causados e não dá mais pra voltar.
Engraçado que enquanto escrevo esse texto, tem um show teu, Pitty, que chega até mim através do fone de ouvido, é um show ao vivo e parece que algo deu errado no palco, e então você diz: “Calma, calma… Segue o baile”. Essa frase, eu te devolvo agora e te peço pra lembrar-se dela quando esse bando de loucos daqui de tirar do sério. Desculpa, a gente não faz por mal.
Enfim, a ideia do texto não foi de explicar o que é ser fã, pois você já sabe como é, sendo fã de seus ídolos. No entanto, ídolo não é pra qualquer um não, tem que ter talento e paciência e sabedoria, coisa que tens de sobra, e saiba que até agora você está indo muito bem.
Obrigado (em nome de todos os teus fãs), e parabéns pelas conquistas, estamos aqui sempre!
E, apesar dos lados, estamos todos juntos. Agora me diz, como é o lado daí?

Comment by Milla Baia

<3

Comment by Pitty

Pitty adoro os seus textos sobre esses assuntos e cada vez me identifico mais, amo também quando você escreve e usa o termo “nós”, mostrando que você também tem um dever a cumprir como todos nós, e que não é aquela pessoa que apenas aponta o dedo e fala onde está errado.
Entendo como é a “vida do menino” citado no texto, pois acompanho isso de perto na escola e fora dela, tenho 13 anos (completo 14 em novembro) e os garotos da minha idade, maioria, são assim. Fica chato isso, porquê quando você vai falar o lado B da história eles reagem mal, com aquele papinho de “afe, tinha que ser menina”, “vai começar com esse feminismo?”,”cala a boca porque vocês não sabem de nada” e entre outros. Não me calo, claro, mas vejo que adolescentes como esses, se não forem “concertados”, irão fazer parte daquele tipo de pessoa que não entende a mensagem que foi lhe passada, e vai pelo palpite errado do vizinho. Tento entender a situação deles, e acabo concluindo que, talvez, tenha um exemplo desses em casa, ou na vizinhança, e quase não é culpa deles. QUASE, pois é aí que entra a falta de interesse da pessoa em procurar do que realmente se trata, antes de sair atirando pedras em todo mundo.
Parabéns pela pessoa que você É! Beijos.

Comment by Vanusa Oliveira




Deixe uma resposta