prato_do_dia
2014, seu lindo by Pitty
26/12/2014, 3:34 pm
Filed under: Blog

Pra falar de 2014 eu preciso voltar um pouquinho ao final de 2013. Foi quando, depois de um ano turbulento e esquisito, eu descobri que estava com hipotireoidismo. O último “presente” de 2013; e que definiu bastante do que aconteceria no ano seguinte. Comecei 2014 empenhada em recuperar minha saúde e meu corpo. Eu achava que  tinha engordado um pouco no ano anterior porque tive uns lances de saúde, e gosto de comer, e acho que nosso corpo muda com a idade mesmo e tava de boa com isso. Mas aí eu descobri que foi o tal do hipo, e comecei o tratamento. Reposição do hormônio da tireóide, “é pra vida toda”, minha médica disse, e eu encarei o bicho. Ela me incentivou a fazer mais exercício para ativar o metabolismo e a comer melhor. Ajudou a reeducar meus hábitos alimentares sem restringir nada, só botando as coisas nos seus lugares. Em pouco tempo eu já via o resultado: meu corpo começou a voltar ao que ele era antes dessa bagunça hormonal. E eu, surpresa, me vi viciada numa coisa nova: endorfina. Nunca tinha descoberto o prazer de malhar até então, sempre fui mais do yôga, da dança, do pilates, essas coisas. Mas descobri que com música eu ia longe, então todo dia escolhia um disco, punha fones de ouvido e ia pra academia, e o tempo passava rápido e gostosamente.

Paralelo à recuperação de mim mesma, aprontava o disco novo. Em Janeiro/ Fevereiro terminamos de gravar as vozes e detalhes e começamos o processo de capa, fotos, encarte, etc. SETEVIDAS estava sendo gerado, no tempo dele.

Em Abril já tínhamos decidido a primeira música de trabalho e gravamos o clipe de Setevidas com Raul Machado. No fim de Abril/começo de Maio, eu e Rafa fomos pra gringa terminar de mixar o disco no Texas com Tim Palmer e depois masterizar em Nova York com Ted Jansen no Sterling Sound. Uma experiência incrível e inspiradora, e um resultado fundamental para a sonoridade do disco.

Em Maio, com o single na rua, programamos o primeiro show do que viria a ser a turnê; para testar na estrada algumas ideias estéticas e de repertório. Tudo estava diferente, inclusive a banda: em vez de um power trio como normalmente tinha sido, mais um músico no palco e a adição de moog, teclados, percussão, mais vozes. Isso trouxe novas texturas pro palco, e a intenção de ter o disco novo reproduzido o mais fielmente possível se tornou real. As músicas antigas ganharam outras cores com os novos elementos e o visual do palco estava bem diferente; tudo novo para uma nova fase. O primeiro show foi emocionante, e o reencontro da gente conosco e com o público foi intenso e deu ânimo para seguir com a turnê.

 SETEVIDAS foi lançado no começo de Junho. Toda aquela movimentação de trabalho novamente, e eu renovada e feliz com a receptividade das pessoas ao disco. Em Junho também fui convidada para regravar “Agora Só Falta Você” da Rita Lee, para abertura de Malhação. Aceitei o convite com alegria, e fizemos uma versão bem louca e também gravada ao vivo dessa música.

Em Julho, a surpresa: através de um exame de acompanhamento da tireóide descobri que ela voltou a funcionar. Eu, que já estava conformada que seria pra vida toda, não entendi nada. Minha médica me tranquilizou e disse que isso acontece, e que os exercícios e a alimentação devem ter sido os grandes responsáveis por ajudar a regular o metabolismo. Parei de tomar a medicação mas continuei apegada a essa nova rotina que hoje considero remédio. Entendi que quem gosta de comer, beber e farrear como eu precisa de uma contrapartida. Hoje brinco dizendo que conserto de dia e estrago de noite.

Em Agosto aconteceram os primeiros shows de lançamento do SETEVIDAS em várias capitais do país, e foi oficialmente dada a largada da turnê. Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte, etc; a maioria dos shows esgotados e todos lotados. Felicidade total pra gente aqui, saindo do palco a cada um desses de alma lavada. E o entrosamento e a convivência entre a banda melhor do que jamais foi, todos apaixonados um pelo outro e pelo disco.

Setembro me trouxe a realização de um desejo antigo: publicar um livro de fotos sobre a carreira. O Cronografia finalmente ficou pronto e foi lançado, e fiz até sessão de autógrafos na Saraiva por conta disso. Mais uma vez, muita satisfação em ver que as pessoas gostaram do livro e que meus companheiros de antigas bandas e personagens da minha história curtiram se ver ali. Também rolou de lançar minha lojinha online em parceria com a Idealshop; e finalmente botar na rua os lances de banda que a gente tanto gosta: camisetas, canecas, anel, almofada, e o que mais a gente inventar.

No final de Setembro foi exibido no Canal Bis o documentário “Pela Fresta” dirigido por Otávio Sousa, sobre a gravação do SETEVIDAS. Além de detalhes da gravação, também tem a gente tocando o disco praticamente na íntegra ao vivo no estúdio; com projeções de Carlos Pedreañez, que assina essa parte do show também.

Tocamos no Circuito Banco do Brasil em Outubro, festivalzão; bom para testar o esquema de palco grande e público massivo. Foi lindo e emocionante. Durante esse mês decidimos o próximo single, e no final dele gravamos o clipe de Serpente dirigido por Charly Coombes.

Em Novembro mais um nó foi desatado: ganhamos o processo que havia sido movido pelo ex-baixista. A justiça entendeu o que vínhamos alegando desde o princípio, e fomos vitoriosos nessa questão. Uma coisa boa nisso tudo é que esse resultado abre um precedente favorável para outros artistas,  e de certa forma protege a todos um pouco mais caso pessoas de má-fé queiram se aproveitar de brechas na legislação.
Depois dessa decepção profunda em 2013 chego ao fim de 2014 livre, com a consciência tranquila, e não deixando a mágoa envenenar meu coração.

O último show de 2014, em Dezembro, foi no Parque da Juventude em São Paulo; onde era o antigo Carandiru. Não sei se a energia daquele chão, não sei se o dia, não sei, não sei. Mas foi um dos shows mais emocionantes dessa nova turnê; o dia estava cinza e chuvoso, e mesmo assim vinte mil pessoas estavam lá em estado catártico; cantando tudo, dançando, vivendo. Foi lindo mesmo, vai ficar na mente.

E logo mais tem mais. Um ano novo incrível a todos, vejo vocês em 2015. 😉

bjs, P.